Entrevista: Luiz Moreno fala sobre canal de relacionamento no Youtube

 -  - 

 

 


Luiz Moreno (Foto: Arquivo Pessoal)

Com uma soma de 4.911,618 seguidores – sendo que 3.927,963 são do Facebook, 798.000 são do Instagram, 32.400 são do Twitter e 153.255 são do Youtube – o ator de comédia Luiz Moreno não pensa em abandonar sua carreira profissional estável para viver apenas da receita gerada pelos anunciantes do seu canal de relacionamento no Youtube.

— Tenho três empresas. Os vídeos são apenas um hobby.

Nascido na cidade de Osasco (localizada no estado de São Paulo), Luiz Moreno – que também é empresário do ramo de marketing digital – conta que já estudava as peculiaridades das relações amorosas antes mesmo de ter a ideia de abordá-las de forma cômica na Internet, apesar de não seguir seus próprios conselhos.

— Sempre gostei de relacionamentos. Há quase oito anos, comecei a estudar um pouco mais à respeito. Tive alguns relacionamentos, mas a maioria de curta duração, então considero que uso bem pouco meus relacionamentos como referência. Em 2015, conheci um aplicativo, chamado Vine, que permitia gravar vídeos de seis segundos. Naquela época, o Instagram ainda não deixava postar vídeos. Comecei a gravar sátiras sobre relacionamentos no Vine. Aos poucos, fui ficando conhecido por lá, sempre nesse segmento de relacionamentos. Migrei para o Facebook e Instagram, entre outras plataformas, pois o Vine acabou.

Será que, ao colocar em prática seu lado vlogger, ele imaginava que iria influenciar tanta gente, até mesmo artistas renomados?

— No início, eu quase abandonei porque ficava um pouco envergonhado em gravar com perucas. Os amigos sempre me zoavam muito, era meio constragedor (até hoje ainda tenho bem pouquinho de vergonha). Então, achava que não precisava daquilo. Mas, ao mesmo tempo, muita gente vinha elogiar, dizer que gostava muito, que dava risada, marcava amigos, mostrava pra família. Isso foi me motivando a continuar. Acredito que sucesso e reconhecimento seja consequência da continuidade de um bom trabalho, então as coisas foram acontecendo naturalmente pra mim, sem forçar nada. No estilo que produzo (casal) é difícil encaixar outras pessoas, mas quero convidar alguns artistas para gravar algumas cenas.

Para produzir conteúdo na Internet, é preciso ter conhecimentos específicos de design gráfico e marketing digital, por causa da edição. Só que nem tudo são flores.

— Hoje tenho 30 (já, rs). Dos 15 aos 20 anos, trabalhei como designer gráfico. Aos 20, larguei o emprego e montei uma agência de marketing digital. Então, quando comecei os vídeos, eu já tinha um breve de conhecimento na área de design. No começo, quebrei muito a cabeça com a parte audiovisual/edição de vídeos, mas, com o tempo, fui aprendendo. Hoje até utilizo na agência algumas técnicas que aprendi com os vídeos. Quando aparece algum tipo de parceria ou post patrocinado, analiso muito bem para ver se encaixa com meu público alvo, não gosto de nada forçado.

bookmark icon