Guilhermina Guinle, Letícia Spiller e Saulo Segreto rodam o filme “Jorge Guinle”

Guilhermina Guinle (Foto: Reprodução)

Ana Bonilha (“Malhação – Pro Dia Nascer Feliz”), Guilhermina Guinle (“Êta Mundo Bom”), Letícia Spiller (“O Sétimo Guardião”) e Saulo Segreto (“Minha Mãe É Uma Peça 2: O Filme”) foram escolhidos para interpretar os personagens principais do filme de longa-metragem “Jorge Guinle – O Homem Que Nunca Trabalhou” (do cineasta Otávio Escobar).

Nascido no ano de 1916 na cidade de Petrópolis (interior do estado do Rio de Janeiro) e falecido no ano de 2004 na cidade do Rio de Janeiro (capital do estado do Rio de Janeiro), Jorge Eduardo Guinle é um playboy carioca, que sempre se vangloriou por nunca ter trabalhado na vida.

Sua ascendência no Brasil começa a partir dos seus bisavós franceses, Jean-Arnauld Guinle e Josephine Désirée Bernardine Palassin, que acabam imigrando ilegamente para o Uruguai e para o Brasil. Seus avós são Eduardo Palassin Guinle e Guilhermina Coutinho da Silva, que ascendem socialmente vendendo produtos importados da sua terra natal.

Sua família ganha dinheiro com o comércio e, com o lucro das vendas, investe na construção de estradas, ferrovias e imóveis, ficando milionária com a concessão de 90 anos para a administração e para a reforma do Porto de Santos, o principal escoadouro da maior riqueza do país na época: café.

Seus pais, Carlos Guinle e Gilda de Oliveira Rocha Guinle, por sua vez, aumentam a fortuna de 92 bilhões de dólares da linhagem da família com energia elétrica, exploração petrolífera e investimento bancário, abrindo empreendimentos como, por exemplo, Guinle na Tijuca, Granja Comary, Hospital Gaffrée, Hotel Copacabana Palace e Palácio Laranjeiras.

Apesar de gastar dinheiro e não trabalhar, Jorge Guinle só consegue ter à sua disposição 2 bilhões de dólares, pois, antes de morrer, Eduardo Palassin Guinle gasta os outros 90 bilhões de dólares na construção do Palácio Laranjeiras, do arquiteto Joseph Gire, que atualmente abriga o governo estadual do Rio de Janeiro.