Com Ana Júlia Dorigon, série “Segredo de Justiça” passa a se chamar “A Vida Não É Justa”

http://noticiasdetv.com/
Foto: Reprodução / Matéria: Noticiasdetv.com

Por causa da sua semelhança com o nome da próxima minissérie da Rede Globo, “Justiça” (de Manuela Dias), que estreia dia 22 de agosto, sob a direção de José Luiz Villamarim, Walter Carvalho e Luísa Lima, a série “Segredo de Justiça”, que vai ser exibida pelo programa de variedades “Fantástico” a partir de julho, sob a direção geral de Pedro Peregrino e direção artística de Ricardo Waddington, em quatro episódios, ganhou um novo título: trata-se de “A Vida Não É Justa”, que é o mesmo do título do livro da escritora Andréa Pachá, no qual o projeto em questão é baseado. 

O elenco da série “A Vida Não É Justa” é formado por atores como, por exemplo, Ana Júlia Dorigon, Ângelo Antônio, Diogo Caruso, Edu Pinheiro, Felipe Camargo, Gabriel Martins, Gisele Fróes, Glória Pires, Guilherme Hamacek, Heloísa Périssé, Igor Angelkorte, Júlia Rabello, Marcello Melo Jr, Natália Lage, Nelson Freitas e Tonico Pereira, que se destacaram em novelas exibidas recentemente. O time já está se preparando para iniciar as gravações nas próximas semanas. A história é centrada no trabalho da escritora e também juíza Andréa Pachá na vara de família. Para esse projeto, foram extraídos quatro casos de justiça do livro dela.

Em um dos episódios, os atores Ana Júlia Dorigon, Guilherme Hamacek, Gisele Fróes e Felipe Camargo vivem uma família em guerra. Os filhos e o pai foram abandonados pela mãe há dois anos por causa de uma crise de depressão. Recuperada, a mãe agora quer obter a guarda compartilhada dos filhos, fato que não é bem aceito pelo pai, que teve que se virar ao longo desses dois anos que se passaram. Em outro episódio, uma mãe deixa o filho aos cuidados do melhor amigo, que o registra e o cria. Mas, o pai biológico aparece, requerendo a guarda dele.

É proibido copiar, reproduzir e reescrever, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro e na legislação internacional. Os direitos referentes ao conteúdo publicado são integralmente reservados ao site em questão.