- 

Resumo Semanal: Novela “Os Dez Mandamentos”: 02/04/2018 a 06/04/2018


Juliana Didone (Foto: Reprodução)

CAPÍTULO 136: SEGUNDA-FEIRA: 02/04/2018
Eliseba piora e Leila chora preocupada. Moisés segue treinando os homens do acampamento com espadas. Eldade admira a desenvoltura de Oseias no treinamento. Abirão, Datã e Corá dizem que não conseguirão vencer os Amalequitas. Arão se prepara para seguir na missão com Moisés. Ele se emociona ao se despedir de Joquebede e Eliseba.  O rei Amaleque ordena que seu exército ataque o acampamento dos hebreus. Ana chora ao se despedir de Oseias. Eles trocam juras de amor. Leila pede para Bezalel ficar no acampamento, mas ele se mostra decidido e diz que lutará pelo seu povo. Os filhos de Arão se preparam para a guerra. Corá se mostra indignado por ter que lutar. Apuki avisa que ficará no acampamento. Moisés lidera o grupo e eles partem para a guerra. Os soldados Amalequitas se preparam para atacar novamente o acampamento. Determinados, Moisés e os guerreiros hebreus seguem para a batalha. Nadabe mostra o local por onde os soldados Amalequitas fugiram. Moisés avisa que todos deverão esperar o momento certo para atacar os inimigos de surpresa. O libertador diz que seguirá para outro ponto com Hur e Arão para fazer uma oração. Abirão, Datã e Corá criticam a atitude de Moisés. Gahiji sente-se culpado por não ter ido ao combate. Chibale elogia a beleza de Ana e ela diz que ama Oseias. Apuki vê a filha conversando com o rapaz e diz que ela deveria escolhê-lo. Safira, Judite e Eldade se preocupam com o estado de Eliseba. Safira se oferece para cuidar de Fineas. Simut avisa que a mulher de Arão não piorou. Joquebede diz acreditar na bondade das pessoas. Safira cuida de Fineas e diz para Judite que sonha em ter um filho. Apuki avista a esposa conversando com Safira e se aproxima. Judite apresenta a amiga ao marido. O feitor cobiça a moça na frente da esposa. Judite tanta disfarçar o ciúme e Safira fica constrangida. Leila, Abigail e Eldade se mostram ansiosos com Moisés e os outros hebreus. No local da batalha, Oseias e os outros se preparam para surpreender os Amalequitas. Datã diz não acreditar na competência de Moisés. Oseias encoraja seu povo. Do alto da colina, Moisés, Hur e Arão avistam o exército Amalequita se aproximando. Oseias manda todos assumirem suas posições. Moisés pede a ajuda de Deus. Ao avistarem os hebreus, os soldados Amalequitas debocham. Oseias comanda o grupo e ordena o ataque. Hebreus e Amalequitas correm na mesma direção. Hur e Arão observam aflitos. Os dois povos se encontram e iniciam a batalha. Eles se enfrentam. Oseias mata um soldado inimigo. Eliseba recupera a consciência e pergunta sobre Arão e os filhos. Amir e Zuri reconhecem a coragem dos hebreus. Eles seguem batalhando. Aoliabe atinge um soldado Amalequita e salva a vida de Zelofeade. Oseias luta e incentiva os outros a continuarem o combate. Moisés continua orando a Deus. Gahiji aconselha Chibale a esquecer Ana. Judite reclama com o marido sobre a cantada que ele deu em Safira. Apuki confessa que conheceu a moça na casa de Senet. Judite fica perplexa com a revelação sobre Safira. Ana diz que Jairo não pode se sentir superior aos hebreus. Bina magoa Safira ao dizer que só um milagre fará com que a irmã engravide.  Em conversa com Radina, Simut comenta o amor que sente por Karoma. Eliseba pede para falar com Arão e os filhos. Oseias luta bravamente contra os Amalequitas. Bezalel é ferido no braço e grita de dor. Arão avista os inimigos avançando sobre os hebreus. Sem forças, Moisés mal consegue erguer os braços para orar.

CAPÍTULO 137: TERÇA-FEIRA: 03/04/2018
A batalha entre amalequitas e hebreus continua. Oseias lidera o grupo dos hebreus, que lutam bravamente contra o forte exército inimigo. Hebreus começam a perder a guerra, muitos morrem vítimas dos duros golpes dos amalequitas, que são liderados pelo general Amir e pelo soldado Zuri. As mulheres começam a se desesperar com a demora dos maridos. Exausto Moisés segue com os braços clamando por Deus. Arão permanece ao lado do irmão e junto a Hur seguram os braços do libertador apontando-os para o céu. Os hebreus recebem uma força divida e voltam a lutar bravamente contra os amalequitas, mas desta vez virando o jogo. Nadabe se depara com Zuri, o homem responsável por ferir sua mãe Eliseba e segue para se vingar. Horas de luta se passam e os amalequitas voltam a virar o jogo. Muitos hebreus começam a tombar. Moisés, Arão e Hur não suportam mais ficar com os braços erguidos e resolvem usar uma pedra para usar de assento. Confiantes, os três seguem orando. Diante da grande ameaça, os hebreus recebem novas forças e lutam bravamente. Finalmente os hebreus vencem a batalha. Simut cuida dos ferimentos de Eliseba, que recebe a visita de Ana. Ela pede para cuidar de Oseias e dá a benção pela união dos dois. Hebreus vencem a batalha e comemoram. Deus conversa com Moisés e diz que irá riscar a memória de Amaleque. Eliseba se sente ainda mais fragilizada e recebe a visita de amigos. Joquebede diz a Eliseba que sempre a teve como uma filha muito querida. As duas se abraçam muito emocionadas. Apuki mente a Chibale dizendo que Ana fala muito dele, surpreendendo o rapaz. Judite diz a Safira que não gostou da forma como Apuki olhou para ela. Bina ouve a conversa e provoca a irmã. O rei Amaleque fica indignado com a derrota. Moisés pede ajuda para sepultar os corpos antes de voltarem para o acampamento. Hebreus voltam ao acampamento vitoriosos, mas arrasados com tantas baixas. Eles são recebidos com festa pelas mulheres. Bina diz a Datã que Apuki tem assediado Safira. O hebreu fica nervoso e vai até a barraca de Apuki e dá um soco na cara dele. Os dois começam uma briga violenta mas são interrompidos por Corá e Abirão. Nadabe, Eleazar, Itamar, Oseias, Abiú e Arão conversam emocionados com Eliseba. Eliseba se despede do marido e dos filhos, mas Arão não aceita a morte da mulher. Miriã pede para ele ter calma e diz para não culpar Deus por isso. Eliseba chama Arão novamente para o quarto. Eles trocam juras de amor e Eliseba morre. Arão solta um grito de dor com a morte da mulher.

CAPÍTULO 138: QUARTA-FEIRA: 04/04/2018
Judite tanta disfarçar o ciúme e Safira fica constrangida. Leila, Abigail e Eldade se mostram ansiosos com Moisés e os outros hebreus. No local da batalha, Oseias e os outros se preparam para surpreender os Amalequitas. Datã diz não acreditar na competência de Moisés. Oseias encoraja seu povo. Do alto da colina, Moisés, Hur e Arão avistam o exército Amalequita se aproximando. Oseias manda todos assumirem suas posições. Moisés pede a ajuda de Deus. Ao avistarem os hebreus, os soldados Amalequitas debocham. Oseias comanda o grupo e ordena o ataque. Hebreus e Amalequitas correm na mesma direção. Hur e Arão observam aflitos. Os dois povos se encontram e iniciam a batalha. Eles se enfrentam. Oseias mata um soldado inimigo. Eliseba recupera a consciência e pergunta sobre Arão e os filhos. Amir e Zuri reconhecem a coragem dos hebreus. Eles seguem batalhando. Aoliabe atinge um soldado Amalequita e salva a vida de Zelofeade. Oseias luta e incentiva os outros a continuarem o combate. Moisés continua orando a Deus. Gahiji aconselha Chibale a esquecer Ana. Judite reclama com o marido sobre a cantada que ele deu em Safira. Apuki confessa que conheceu a moça na casa de Senet. Judite fica perplexa com a revelação sobre Safira. Ana diz que Jairo não pode se sentir superior aos hebreus. Bina magoa Safira ao dizer que só um milagre fará com que a irmã engravide. Em conversa com Radina, Simut comenta o amor que sente por Karoma. Eliseba pede para falar com Arão e os filhos. Oseias luta bravamente contra os Amalequitas. Bezalel é ferido no braço e grita de dor. Arão avista os inimigos avançando sobre os hebreus. Sem forças, Moisés mal consegue erguer os braços para orar.

CAPÍTULO 139: QUINTA-FEIRA: 05/04/2018
A batalha entre amalequitas e hebreus continua. Oseias lidera o grupo dos hebreus, que lutam bravamente contra o forte exército inimigo. Hebreus começam a perder a guerra, muitos morrem vítimas dos duros golpes dos amalequitas, que são liderados pelo general Amir e pelo soldado Zuri. As mulheres começam a se desesperar com a demora dos maridos. Exausto Moisés segue com os braços clamando por Deus. Arão permanece ao lado do irmão e junto a Hur seguram os braços do libertador apontando-os para o céu. Os hebreus recebem uma força divida e voltam a lutar bravamente contra os amalequitas, mas desta vez virando o jogo. Nadabe se depara com Zuri, o homem responsável por ferir sua mãe Eliseba e segue para se vingar. Horas de luta se passam e os amalequitas voltam a virar o jogo. Muitos hebreus começam a tombar. Moisés, Arão e Hur não suportam mais ficar com os braços erguidos e resolvem usar uma pedra para usar de assento. Confiantes, os três seguem orando. Diante da grande ameaça, os hebreus recebem novas forças e lutam bravamente. Finalmente os hebreus vencem a batalha. Simut cuida dos ferimentos de Eliseba, que recebe a visita de Ana. Ela pede para cuidar de Oseias e dá a benção pela união dos dois. Hebreus vencem a batalha e comemoram. Deus conversa com Moisés e diz que irá riscar a memória de Amaleque. Eliseba se sente ainda mais fragilizada e recebe a visita de amigos. Joquebede diz a Eliseba que sempre a teve como uma filha muito querida. As duas se abraçam muito emocionadas. Apuki mente a Chibale dizendo que Ana fala muito dele, surpreendendo o rapaz. Judite diz a Safira que não gostou da forma como Apuki olhou para ela. Bina ouve a conversa e provoca a irmã. O rei Amaleque fica indignado com a derrota. Moisés pede ajuda para sepultar os corpos antes de voltarem para o acampamento. Hebreus voltam ao acampamento vitoriosos, mas arrasados com tantas baixas. Eles são recebidos com festa pelas mulheres. Bina diz a Datã que Apuki tem assediado Safira. O hebreu fica nervoso e vai até a barraca de Apuki e dá um soco na cara dele. Os dois começam uma briga violenta mas são interrompidos por Corá e Abirão. Nadabe, Eleazar, Itamar, Oseias, Abiú e Arão conversam emocionados com Eliseba. Eliseba se despede do marido e dos filhos, mas Arão não aceita a morte da mulher. Miriã pede para ele ter calma e diz para não culpar Deus por isso. Eliseba chama Arão novamente para o quarto. Eles trocam juras de amor e Eliseba morre. Arão solta um grito de dor com a morte da mulher.

CAPÍTULO 140: SEXTA-FEIRA: 06/04/2018
Os hebreus organizam uma grande festa para receber os midianitas. Ao som da voz e da lira de Miriã, hebreus dançam e celebram a chegada dos midianitas. Arão se mostra triste pela morte de Eliseba ao se apresentar a Jetro. Hur e os demais hebreus se apresentam ao patriarca midianita. Apuki não se anima com a festa que acontece no acampamento e prefere não acompanhar Judite, Ana e Jairo. Radina não consegue esconder tristeza durante comemoração pela chegada de Zípora e de sua família, mas não se abre com os demais hebreus. Simut esbarra sem querer e se encanta por Jerusa, uma das irmãs de Zípora. Jetro elogia a família de Arão e conta ao hebreu sobre baque que teve ao perder a mulher quando as sete filhas eram pequenas. O patriarca ainda ressaltou que Zípora foi valente e, praticamente como uma mãe, o ajudou a cuidar das filhas. Jetro afirmou ainda que seguiu em frente tendo consigo a força de Deus. Após a festa, Miriã se encontra com Hur. O hebreu diz que gosta de acordar cedo para ver o nascer do sol, como se os raios de luz ajudassem a cicatrizar as feridas. O artesão se anima com o futuro de Bezalel e a futura chegada dos bisnetos. Moisés e Zípora acordam juntos e fazem juras e amor. A mulher do hebreu pede para ficar mais tempo juntos, mas o libertador avisa que precisa atender as pessoas. Joquebede explica que Moisés resolve todos os problemas do acampamento. Moisés atende os mais variados problemas do acampamento. O libertador confessa que está cansado de atender tantos casos diariamente. Jetro sugere que ele leve os problemas de seu povo para Deus para que Ele mostre o caminho que se deve seguir. Aconselhou também a procurar homens tementes a Deus e capazes de julgar e resolver pequenos problemas do dia a dia, os estabelecendo como chefes de grupos do acampamento. Jetro ainda sugere que os chefes tragam até Moisés apenas as causas mais graves. Jetro de despede das filhas de maneira emocionada. Moisés o acompanha até o Monte Sinai. Deus avisa a Moisés que irá falar com todos os hebreus dentro de três dias. Hebreus se mostram ansiosos com a futura manifestação de Deus e procuram se purificar. Aoliabe separa Bezalel e Deborah para que eles não deixem de se manter purificados. Josué pede para que Arão reaja ao sofrimento após a morte de Eliseba. O povo hebreu, que ficou aguardando Moisés, fica impaciente com a demora do mesmo. Pela primeira vez, Deus fala com os hebreus diretamente. O Senhor passa instruções e revela quais são os Dez Mandamentos. Moisés revela ao povo que todos aqueles que seguirem os Mandamentos de Deus terão a sua misericórdia. Após as palavras, Deus diz para todos voltarem às suas tendas, mas chama Moisés para subir ao céus para que possa lhe passar todos os Mandamentos, estatutos e juízos que o libertador terá que ensinar ao povo. Na companhia de Josué, Moisés sobe ao Monte Sinai para busca a “Lei de Deus”. Zípora se emociona com o que ouviu de Deus, mas fica preocupada com Moisés, que partiu sem água e sem pão. Joquebede procura tranquilizá-la. Simut afirma que quer ser amigo de Deus. Leila diz ao egípcio quer o Senhor deseja que todos se relacionem com Ele. Apuki repassa o que ouviu de muitos hebreus e diz que todos devem fazer alguma imagem que represente o Senhor para adorar. O ex-feitor convence Arão a fazer uma imagem de ouro para adorar e evitar que as pessoas reclamem que todos foram abandonados por Moisés. Arão pede para reunir joias e tudo o que for de ouro para construir uma imagem. Joquebede e Miriã aconselham o hebreu a parar o que está fazendo, já que isso é algo que Deus não permitiu que seja feito. Na ausência de Moisés, o povo constrói um bezerro de ouro. Apuki lidera a celebração da imagem. Judite e Ana pedem que o egípcio pare. Por outro lado, Apuki não as ouve e as mandam embora. Moisés recebe as tábuas de pedra com os Dez Mandamentos escritos por Deus e volta para encontrar com seu povo, que passa a adorar o bezerro de ouro. Irritado, o libertador ergue as Tábuas dos Dez Mandamentos e as joga no chão. Os objetos se despedaçam e deixam todos do acampamento surpresos. Moisés derruba o bezerro de ouro. Arão encara o irmão atônito. Moisés questiona Arão.

bookmark icon