Resumo Semanal: Novela “Ribeirão do Tempo”: 23/10/2017 a 27/10/2017

Bianca Rinaldi (Foto: Divulgação)

CAPÍTULO 155: SEGUNDA-FEIRA: 23/10/2017
Nasinho encontra Virgílio na boate. Nasinho diz para ele continuar de olho nos movimentos de Iara e ele concorda. Nicolau apresenta Flores a Karina. Os três vão à biblioteca para conversar. Nasinho diz a Vera que está quase convencendo Zuleide de fazer sexo a três. Ela diz que é paga para satisfazer a freguesia. Karina diz que quer participar da revolução que Flores está preparando. Ele e Nicolau explicam todo o plano para moça. Querêncio diz a Marisa que está sentindo o peso da responsabilidade. Ela o aconselha a não perder as esperanças em relação ao resort e se beijam. Karina pergunta se flores quer matar o presidente com um tiro. Ele diz que não, que ele tem que morrer de uma forma bem brasileira. O professor diz que vai ser uma execução difícil. Sonia diz à mãe que não queria se casar em casa. Virgínia explica que, devido à situação, quanto mais simples melhor. Ela ainda reclama que não quer morar com seu pai depois do casamento. Virgínia diz que o dinheiro que ela e Patrícia ganham não dá pra sustentar um aluguel. As duas dizem que a criança virá com uma grande missão de paz. André e seu pai brigam por causa do casamento. Lincon se arrepende e chama o filho para ter uma conversa. Ele aconselha o filho a tomar cuidado com Ajuricaba. Karina agradece a Flores por confiar nela. Nicolau diz a Karina que ela tem que ir morar o mais rápido possível na fazenda. Ela diz que não pode sair de casa de uma hora para outra e ele a tranqüiliza dizendo que vão preparar a chegada dela. Célia conta a Bruno que o prefeito pretende fazer o dia da cachaça em Ribeirão. Ele recebe um telefonema da obra e fica assustado. O mestre de obras do resort diz a Bruno que os operários estão inquietos com a notícia da paralisação. Ele fica nervoso e diz que vai correndo até lá. Bruno pede para Célia ligar para Arminda e pedir para ela ir até a obra. Arminda conta a Querêncio o problema no canteiro de obras. Ele decide ir falar com os funcionários. Marisa e Arminda o aconselham a não ir, mas ele diz que é do povo e vai até eles. Bruno e Matias ficam desesperados enquanto um operário discursa para o resto. O professor mostra uma bomba artesanal para sereno. Flores diz a Sereno que pretende explodir a prefeitura. Ele diz que o Comando Invisível tem que falar para os operários virem em marcha para a cidade e invadirem a prefeitura. Sereno vai repassar a ordem para o Comando. Querêncio chega a obra para conversar com os trabalhadores. Bruno e Matias ficam mais tranqüilos. Léia conta a Joca sobre a ira dos operários e que o prefeito foi até lá apaziguar a situação. Ele quer saber seArminda foi também e sua mãe diz que não. Querêncio começa a discursar e Jorge o interrompe. O prefeito o chama de companheiro e o operário diz que ele não é companheiro de bacana. A confusão se alastra e todos gritam que vão quebrar as coisas. Lincon chega com sua máquina e pergunta a Bruno o que está acontecendo. Joca mexe no grampo que fez no casarão. Flores arma a bomba. Ele vai até a janela e vê Joca andando disfarçando. Ele diz que a hora de Joca está chegando. Joca troca as fitas do gravador sem ser percebido. Ele vai até o trabalho de Arminda. Ela conta a Joca os problemas com os operários. Ele diz que o professor vai aproveitar da confusão para tentar alguma coisa. Ela fica preocupada e pede para que ele tome cuidado e eles se beijam. Flores diz ao general que eles conseguiram e que ele está empenhado em fazer os trabalhadores reagirem. Completa que ele terá uma notícia bombástica. Querêncio fica chateado por não ter conseguido nada com os operários. Matias diz a ele que Jorge é representante do Comando Invisível. Jorge propõe aos outros operários irem para cidade fazer uma passeata. Karina diz a Zuleide que mandou as fotos para Filomena. Virgílio recebe a encomenda de Filó e põe no quarto dela. Filó chega à prefeitura e Sancha diz a ela que o pai foi até o canteiro tentar resolver a situação com os operários.

CAPÍTULO 156: TERÇA-FEIRA: 24/10/2017
Nasinho encontra Virgílio na boate. Nasinho diz para ele continuar de olho nos movimentos de Iara e ele concorda. Nicolau apresenta Flores a Karina. Os três vão à biblioteca para conversar. Nasinho diz a Vera que está quase convencendo Zuleide de fazer sexo a três. Ela diz que é paga para satisfazer a freguesia. Karina diz que quer participar da revolução que Flores está preparando. Ele e Nicolau explicam todo o plano para moça. Querêncio diz a Marisa que está sentindo o peso da responsabilidade. Ela o aconselha a não perder as esperanças em relação ao resort e se beijam. Karina pergunta se flores quer matar o presidente com um tiro. Ele diz que não, que ele tem que morrer de uma forma bem brasileira. O professor diz que vai ser uma execução difícil. Sonia diz à mãe que não queria se casar em casa. Virgínia explica que, devido à situação, quanto mais simples melhor. Ela ainda reclama que não quer morar com seu pai depois do casamento. Virgínia diz que o dinheiro que ela e Patrícia ganham não dá pra sustentar um aluguel. As duas dizem que a criança virá com uma grande missão de paz. André e seu pai brigam por causa do casamento. Lincon se arrepende e chama o filho para ter uma conversa. Ele aconselha o filho a tomar cuidado com Ajuricaba. Karina agradece a Flores por confiar nela. Nicolau diz a Karina que ela tem que ir morar o mais rápido possível na fazenda. Ela diz que não pode sair de casa de uma hora para outra e ele a tranqüiliza dizendo que vão preparar a chegada dela. Célia conta a Bruno que o prefeito pretende fazer o dia da cachaça em Ribeirão. Ele recebe um telefonema da obra e fica assustado. O mestre de obras do resort diz a Bruno que os operários estão inquietos com a notícia da paralisação. Ele fica nervoso e diz que vai correndo até lá. Bruno pede para Célia ligar para Arminda e pedir para ela ir até a obra. Arminda conta a Querêncio o problema no canteiro de obras. Ele decide ir falar com os funcionários. Marisa e Arminda o aconselham a não ir, mas ele diz que é do povo e vai até eles. Bruno e Matias ficam desesperados enquanto um operário discursa para o resto. O professor mostra uma bomba artesanal para sereno. Flores diz a Sereno que pretende explodir a prefeitura. Ele diz que o Comando Invisível tem que falar para os operários virem em marcha para a cidade e invadirem a prefeitura. Sereno vai repassar a ordem para o Comando. Querêncio chega a obra para conversar com os trabalhadores. Bruno e Matias ficam mais tranqüilos. Léia conta a Joca sobre a ira dos operários e que o prefeito foi até lá apaziguar a situação. Ele quer saber seArminda foi também e sua mãe diz que não. Querêncio começa a discursar e Jorge o interrompe. O prefeito o chama de companheiro e o operário diz que ele não é companheiro de bacana. A confusão se alastra e todos gritam que vão quebrar as coisas. Lincon chega com sua máquina e pergunta a Bruno o que está acontecendo. Joca mexe no grampo que fez no casarão. Flores arma a bomba. Ele vai até a janela e vê Joca andando disfarçando. Ele diz que a hora de Joca está chegando. Joca troca as fitas do gravador sem ser percebido. Ele vai até o trabalho de Arminda. Ela conta a Joca os problemas com os operários. Ele diz que o professor vai aproveitar da confusão para tentar alguma coisa. Ela fica preocupada e pede para que ele tome cuidado e eles se beijam. Flores diz ao general que eles conseguiram e que ele está empenhado em fazer os trabalhadores reagirem. Completa que ele terá uma notícia bombástica. Querêncio fica chateado por não ter conseguido nada com os operários. Matias diz a ele que Jorge é representante do Comando Invisível. Jorge propõe aos outros operários irem para cidade fazer uma passeata. Karina diz a Zuleide que mandou as fotos para Filomena. Virgílio recebe a encomenda de Filó e põe no quarto dela. Filó chega à prefeitura e Sancha diz a ela que o pai foi até o canteiro tentar resolver a situação com os operários.

CAPÍTULO 157: QUARTA-FEIRA: 25/10/2017
Sancha pergunta a Filomena se ela pretende contar a seu pai sobre seu salto de paraquedas. Filó acha que seu pai ficará zangado com a notícia e Sancha a aconselha a esperar seu pai voltar para contar. Querêncio volta para a prefeitura e é recebido por Sancha e sua filha. Os três conversam sobre o problema na obra. O novo prefeito, decepcionado, conta que esperava outra reação dos operários e Sancha o adverte que ele não faz mais parte do povo. Filó deixa para contar a novidade outro dia. Bruno conta a Arminda que os trabalhadores saíram do canteiro de obras e a adverte que sabia que a situação ia acabar assim. Filomena encontra Karina e as duas trocam alfinetadas. Filó conta a ela que está bem com seu marido e que até pulam de paraquedas juntos. Karina fica irritada e diz para ela temer os perigos da terra e não do céu. Tito conta para sua mãe que o congresso nacional de turismo de aventura vai ser em Ribeirão e que será ótimo para pousada. Clorís diz a seu filho que fica feliz por ele e sua esposa estarem se entendendo. Tito diz a ela que talvez o relacionamento dê certo. Mateus comenta com Newton que acha que não tem chances com a Filomena e o amigo o aconselha a investir em outra garota. Os operários chegam à praça em passeata. Sereno vê e vai contar a Flores. Joca e Alfredo estão conversando no bar e escutam o barulho dos trabalhadores na praça. Romeu chega contando que os operários estão na praça protestando. Joca pede uma cachaça para acompanhar de perto a bagunça. Arminda pede ajuda á polícia para proteger a empresa. Ela diz a Teixeira que tem medo de ficar com papel de Judas e ele diz a ela que isso não terá, pois foi um problema de responsabilidade e competência. Flores chega a praça animado, Sereno aparece carregando uma sacola grande e Joca observa os dois sem ser visto. Ajuricaba diz que não pode resolver o problema de Arminda e pede para que Marta peça ajuda a polícia militar. Ela diz que eles não poderão ajudar e o delegado explode. Sônia, André, Sérgio e Carmem estão no Agito e Sérgio decide ler o manifesto do comando invisível. Todos resolvem ir à praça ver e Rosa pede para que Sérgio fique. Jorge instiga os trabalhadores a tirarem satisfações com o prefeito. Romeu apressado vai avisar a Sancha. Ele avisa a Sancha e Virgínia que os trabalhadores pretendem invadir a prefeitura. Virgínia com medo liga para Ajuricaba. Sancha tenta convencer Querêncio que os trabalhadores estão enfurecidos. Ele diz que não tem problema, mas ela diz para ele pensar na época em que ele era do povo. O prefeito fica sem reposta. Virgínia avisa que já telefonou para delegacia. Nicolau aconselha Karina a fechar a loja e diz que suspeita que o mestre apronte alguma coisa. Filomena chega trazendo notícias sobre a cidade. Ao chegar no quarto, ela vê o envelope vermelho com as fotos. Ela abre o envelope e fica chocada com que vê. Karina diz a Zuleide que encontrou Filó. Ela diz que Filó virou paraquedista, e que acha que ela não viu as fotos ainda. Filomena não consegue acreditar nas fotos que vê. Os funcionários do resort começam a se manifestar e Sereno caminha discretamente entre eles. Flores observa de um ponto distante e não percebe que está sendo observado por Flores. Ellen espera para falar com o prefeito. Os operários invadem e saem arrastando o que tem na frente. Sereno entra com sua sacola e vai até um móvel grande. Querêncio pergunta o que está acontecendo e é atropelado pelos operários. Jorge entrega a carta para Querêncio levar ao governador e ao presidente. Flores acompanha tudo, da praça, fingindo ler o jornal. Joca continua observando Flores. Arminda chega e pergunta a Joca sobre os acontecimentos. Ele a atualiza e diz que está na cola do professor. Ellen e Virgínia tentam acalmar os operários. Sereno, sem que ninguém perceba, põe uma caixa de madeira com a bomba embaixo do móvel grande. Virgínia aconselha Ellen a ir embora, mas ela diz que vai esperar mais um pouco. Filomena, irritada, vai até Tito, diz que precisa falar com ele e que o está esperando no quarto. Ela mostra para Tito as fotos do envelope vermelho. Romeu, Sancha Querêncio ainda tentam conversar com os trabalhadores. Ajuricaba chega a prefeitura tentando por ordem no local. Ellen diz a Cardoso que ficará aguardando para falar com o prefeito. Ajuricaba entra no gabinete, mas Querêncio diz que já está tudo resolvido. A bomba e explode e todos ficam apavorados.

CAPÍTULO 158: QUINTA-FEIRA: 26/10/2017
Querêncio, Ajuricaba, Sancha, Jorge e os outros ficam nervosos com toda a fumaça. O prefeito tenta descobrir o que aconteceu. O delegado diz que foi uma bomba. Sancha acha uma mulher ferida, reconhece Ellen e pede ajuda para socorrê-la. Flores observa a prefeitura sombrio. Arminda assustada pergunta a Joca o que foi que aconteceu e ele explica que foi uma explosão na prefeitura. Ele observa o professor, e o vê trocando olhares com Sereno, que desaparece na multidão. Arminda o chama para ir lá ver, mas ele diz que está observando o professor Flores. Ela o manda parar de obsessão e o convence a ir até lá. Sancha faz procedimentos de primeiros socorros em Ellen e diz que ela está bem, apesar do estado de choque. Ajuricaba prende Jorge como principal suspeito do atentado a prefeitura. Arminda e Joca chegam a prefeitura e ficam assustados com o que vêem. Filomena pede explicações sobre as fotos de Karina e Tito. Ele não consegue se explicar, mas confessa que é ele nas fotos. Ele explica e Filomena quer saber onde ele foi depois do beijo. Tito prefere não dizer. Filó chora e ele fica desesperado, sem saber o que fazer. Newton pergunta a Mateus por que Filomena estava tensa daquele jeito. Ele diz que não sabe, mas que acha que algum barraco irá rolar. Iara chega e os três começam a tentar saber o que está acontecendo. Tito tenta conversar com Filomena. Ela diz que não quer conversa e só quer saber se ele transou com Karina. Ele tenta desconversar e acaba confessando. Filó fica irritada e diz que acabou tudo entre os dois. Ela o acusa de quebrar o trato, o expulsa do quarto e, quando ele sai, cai no choro. André, Sérgio, Sônia e Carmem chegam a prefeitura e vêem o caos que está. Sérgio pergunta a Alfredo o que aconteceu, ele diz a Carmem que acha que a irmã dela se machucou e conta sobre a bomba. Ela vai atrás da irmã. Flores entra na prefeitura sem falar com ninguém. Joca diz a Arminda que garante que o professor está por trás do atentado. E ela o manda falar baixo. Carmem chora ao ver a irmã. Sancha e Romeu a amparam. Ajuricaba algema Jorge e Flores tenta interceder a favor do operário. Ajuricaba pede para que ele não interfira no trabalho dele. Sereno escreve outro recado do comando invisível. Lincon chega a praça e começa a fotografar o acontecimento. Sancha diz a Carmem que a irmã dela ficará boa e ela confessa que está com medo. Romeu também a ajuda. Lincon fotografa os três e Carmem fica irritada escondendo o rosto. Flores passa apressado por Lincon, que pergunta a ele sua opinião sobre o caos. Ele diz que isso é trabalho da conspiração azul e diz que tem um trabalho urgente a fazer. E o fotógrafo fica pensativo. Newton, Iara e Mateus conversam quando Tito aparece atordoado. Eles tentam saber o que aconteceu. Tito reluta, mas acaba explicando que pisou feio com Filomena. Iara diz que vai até ela e ele concorda. Newton e Mateus ficam preocupados. Iara chega ao quarto de Filó e a vê os prantos. Ela tenta ajudar, mas a amiga diz que não quer conversar. Iara insiste dizendo que amigos servem pra isso e então Filó mostra a fotos, fazendo com que ela fique perplexa. Newton e Mateus tentam acalmar Tito. Mateus percebe que está sobrando e se despede. Newton então insiste para que o amigo conte e Tito acaba desabafando. Ele desconfia que Karina armou tudo isso e fica indignado. Newton tenta acalmá-lo e diz para ele pensar em Filó. Virgílio chega e conta sobre a bomba na prefeitura. Os dois ficam chocados com a notícia. Larissa conta a Beatriz que explodiu uma bomba na prefeitura, e ela fica nervosa. Ela tenta contar a Nicolau, que diz que já sabe de tudo e que está indo até lá prestar socorro às vítimas, e tomar uma providência. Sua mãe diz para ele ter cuidado. Karina vai até a empresa e tenta falar com seu pai. Joca continua dizendo a Arminda que foi o professor Flores o culpado da explosão e ela pede para que ele, antes de falar, ache provas para não ser acusado de difamação. Ela o manda embora, mas antes que Joca saia, eles se beijam. Célia, Bruno e Teixeira conversam sobre a explosão. Karina chega dizendo que está assustada com a movimentação. Bruno recebe uma ligação da Europa e é aconselhado a dizer que precisa mudar o comando no Brasil. Querêncio chega em casa e é recebido por Marisa e Arminda. Ele diz que Ellen está sendo operada e que sabe que nenhum dos operários é o terrorista. Diana escuta Querêncio e pede para ir visitar Guilherme. Arminda tenta impedir, mas ela diz que pode ser tarde demais. Guilherme Carmem, Virgínia e Ajuricaba aguardam notícias sobre Ellen. Carmem pergunta a um médico como está sua irmã. Ele não diz muita coisa. Newton chega atordoado, tentando conseguir alguma informação. Ele e Ajuricaba acabam discutindo dentro do hospital. O delegado ameaça prendê-lo, mas Virgínia o leva para fora. Guilherme vai até Newton, que o abraça. Flores manda Sereno mandar uma mensagem em nome do comando invisível, acusando a conspiração azul. Iara conversa com Tito a respeito de Filomena. Ele diz que vai conversar com ela, mas ela o aconselha a não ir. Filó arruma uma mala e lembra da conversa que teve com Tito aos prantos. Clóris conversa com Tito e Iara quando Filomena aparece com as malas, dizendo que vai embora. Ele pede para que ela fique, mas ela já está decidida a ir. Jorge presta depoimento a Marta e Cardoso, afirmando que não tem culpa de nada. Ajuricaba pergunta a Marta sobre o depoimento e ela diz que Jorge afirma que não sabe quem pôs a bomba e que desconfia da conspiração azul. Ele reclama dizendo que isso é para enlouquecê-lo. Lincon está no jornal resolvendo a manchete, quando chega Nicolau. Ele conta ao senador que recebeu um comunicado da conspiração azul assumindo a responsabilidade do atentado. Guilherme fica revoltado com a situação de sua mãe e Carmem tenta consolá-lo. Ele recebe uma ligação de Diana. Virgínia fica preocupada achando que Sônia estava lá. Elas conversam sobre o casamento. Virgínia para a conversa para ver o programa de Ari na televisão. Querêncio e Marisa assistem o programa de Ari e ele diz que anotará tudo para devolver na hora certa.

CAPÍTULO 159: SEXTA-FEIRA: 27/10/2017
Joca está no bar conversando com Romeu e Alfredo e conta que sabe quem é o responsável pela bomba, mas que só poderá dizer quando reunir as provas. Querêncio acaba de assistir ao programa de Jumento irritado. Filomena chega com uma mala e Querêncio e Marisa ficam surpresos. Ela é questionada o porque de estar lá. Filó responde que foi um problema na pousada. Seu pai fica desconfiado e tenta saber o problema. Ela decide falar que foi um desentendimento com Tito. Marisa providencia um quarto para Filó. Ela decide visitar Ellen. Tito, irritado, liga para Karina para tirar satisfações, mas não consegue falar nada. Karina está com Célia, Bruno e Nicolau. Ela atende, ninguém responde e ela fica satisfeita ao ver o número de Tito no visor. Os outros continuam conversando e Nicolau faz uma pergunta a Karina, mas ela está absorta em seus pensamentos e não responde. Ele pergunta novamente e ela se atrapalha para responder. Clorís, Iara, Mateus e Virgílio conversam sobre as coisas que andaram acontecendo em Ribeirão. Tito passa por eles dizendo que está apressado e precisa resolver um assunto. Sua mãe fica preocupada e pede para que ele fale o que é, mas ele sai e a deixa falando sozinha. Filomena e Arminda decidem ir até o hospital ver Ellen. Querêncio diz a elas que não poderão vê-la, pois o estado dela é grave. Arminda diz que o importante é ela saber que estiveram lá. Tito vai até a casa de Karina, furioso, e diz que tem que conversar com ela. Bruno e Senador se levantam tentando proteger Karina. Tito é grosso e diz que seu papo é com ela e ninguém tem que se meter. Nicolau vai para cima dele e os dois começam a brigar. Bruno tenta separar e acaba levando as sobras. Os dois são separados e Tito diz a Bruno e Célia que a filha deles mandou fotos para sua esposa. Bruno e um empregado levam o detetive para fora e Karina fica triunfante e satisfeita com que viu. Nicolau pergunta a Karina que fotos são essas que Tito falou. Ela se sente ofendida e inventa uma história. Nicolau fica só a observando. Filomena e Arminda chegam ao hospital e perguntam informações sobre Ellen, prestando solidariedade. Tito chega todo machucado. Filomena desvia o olhar. Karina pergunta a Nicolau se ele ficou irritado com ela por causa de Tito. Ele diz que não, porque ela mostrou que não leva desaforo para casa. O senador diz que os dois vieram para cavar o abismo e espalhar o horror e Karina fica excitada. Ela tira roupa e vai para cima dele. Carmem conta a todos o que presenciou na prefeitura. Filomena se oferece para buscar um café para ela. Tito vai atrás de sua esposa e tenta conversar. Ela diz que não tem o que conversar e que, quando ela sentir que pode falar, ela o chamará. Eles terminam de vez. Ela o deixa sozinho e vai entregar o café para Carmem. Arminda diz que é preciso se revezar no hospital, que não adianta ficar todo mundo lá. Newton diz que vai ficar e fala para Guilherme e Carmem irem para casa, que assim que tiver notícias ele ligará. Tito oferece para levá-los, mas Filó diz que Arminda veio de carro. Tito fica observando angustiado. Filomena se oferece para dormir com Carmem e Guilherme, mas ela diz que não precisa. Ela segue com Arminda comentando como está preocupada com Guilherme. Arminda pergunta a ela sobre o casamento dela com Tito. Ela hesita e diz que Tito pisou na bola com ela. Arminda diz que, se precisar pode contar com ela. As duas ficam em silencio. Elza diz a Arminda que o quarto de hóspedes está com infiltração. Ela diz que Diana ofereceu seu quarto para ela dormir e já se instalou no quarto de Arminda. Arminda oferece algo para comer a Filó, que diz que só quer tomar um banho e dormir. Filomena se prepara pra deitar e lembra da briga com Tito e começa a chorar. Tito conta a Newton que, no dia que foi ao motel com Karina, eles não transaram, pois ele percebeu que não tinha mais nada a ver os dois juntos. Newton diz que pode ser tarde demais. Tito percebe que estava falando de seus problemas e não perguntou nada a seu amigo. Newton diz que é bom para esquecer os problemas e conta que quase bateu no delegado. Teixeira fala ao telefone. Arminda chega e ele a cumprimenta debochado. Teixeira conta a Bruno que Arminda deixará o cargo e os dois comemoram. Arminda chega a sua sala e fala com Andréa sobre os afazeres do dia, ela resolve checar seus emails e fica preocupada com a notícia que acaba de chegar. Célia e Sancha tentam convencer Virgínia a sair de sua sala e dividir com Bill, ela se recusa. Célia recebe a ligação de Teixeira, que diz que Arminda perdeu seu posto na empresa. Ela pergunta se um substituto foi nomeado e ele diz que não é para ela ao contar a ninguém sobre isso. Arminda, Bruno e Teixeira se reúnem para dar a notícia oficial a Arminda que ela terá que deixar o cargo. Bruno diz que ele ocupará o cargo provisoriamente. Sonia, Virgínia e Patrícia conversam sobre o casamento e decidem que o casório será no dia seguinte. Sônia fica surpresa. André vai até o jornal tentando convencer seu pai, mais uma vez, de ir ao seu casamento. Ele se nega e os dois acabam discutindo. Arminda conta a Filomena que foi destituída do seu cargo no Brasil e ela pergunta a amiga o que ela fará agora. Teixeira vai até a prefeitura e conta a Querêncio que Arminda deixou seu cargo e ele fica perturbado com a notícia. A dama de ferro liga para Joca e pede para que ele a encontre imediatamente. Teixeira aconselha o prefeito a não interferir no problema de Arminda, para que ele não tenha perigo de perder a herança. Ele não gosta de não poder se meter e pede a opinião de Sancha e Bill, que estão ouvindo toda a conversa. Ela fica pensativa e Bill dá um leve sorriso. Joca chega a casa de Arminda e ela lhe dá um beijo avassalador, Ele pergunta o que aconteceu. Ela, com um olhar perdido, diz a Joca que perdeu o cargo e vai ter que ir embora do Brasil.