Exclusivo: Junno Andrade e Li Borges serão jornalistas na novela “Apocalipse”

Junno Andrade (Foto: Divulgação)

Após “Boogie Oogie” (de Rui Vilhena) e “Escrava Mãe” (de Gustavo Reiz), Junno Andrade volta ao ar como apresentador e editor-chefe de um telejornal na próxima novela das 20h da Record TV, “Apocalipse”, que possui previsão de estreia para o dia 7 de novembro, sob a direção geral de Edson Spinello.

Na história, escrita por Vívian de Oliveira, com a colaboração de Alexandre Teixeira, Emílio Boechat, Gabriel Carneiro, Marcos Lazarini e Maria Cláudia Oliveira, seu personagem, que se chama Arthur Pestana, é responsável por informar a população brasileira das tragédias que acontecem em Jerusalém, Nova Iorque, Rio de Janeiro e Roma.

No telejornal, sua âncora e colega de trabalho é a repórter Bárbara (Li Borges), que, por sua vez, vive um romance conturbado com Diogo (Fredy Costa), pois o proprietário de uma famosa rede de casas noturnas possui uma questão mal resolvida do passado com uma ex-namorada, que resolve reaparecer repentinamente.

A trama de cunho bíblico percorre os acontecimentos desastrosos que ocorrem ao redor de três gerações familiares, durante três décadas diferentes, o que os missionários creditam como a chegada do apocalipse. O apocalipse se trata de um evento bíblico, que anuncia o fim do mundo e a extinção da humanidade.

A primeira geração apresentada é a dos judeus ortodoxos Tamar (Jussara Freire) e Gideon (Henri Pagnoncelli), que são pais de Débora (Manuela do Monte/Bia Seidl), Noah (Raphael Sander) e Rana (Brendha Haddad/Adriana Prado). Os dois são avós de Ricardo (Sérgio Marone), que rouba Zoé (Juliana Knust) de Benjamin (Guilherme Winter).

Filha de Lía (Beth Goulart), Zoé se casa com Ricardo após o grande amor da sua vida, Benjamin, acusá-lo de roubar um projeto de inteligência artificial através de um hacker, HD (Paulo Vilela). Desta relação, nasce Isabela (Paloma Bernardi), formando a assim a segunda geração e a terceira geração citada.