Cauã Reymond será assessor político de Antônio Calloni na minissérie “Justiça”

Intérprete de Juliano na novela “A Regra do Jogo” (de João Emanuel Carneiro), o ator Cauã Reymond vai retornar à televisão na próxima minissérie da Rede Globo, “Justiça”, escrita por Manuela Dias, que estreia dia 22 de agosto, no lugar da novela “Liberdade, Liberdade” (escrita por Mário Teixeira e Márcia Prates), sob direção geral de Luísa Lima e Walter Carvalho, além da direção artística de José Luiz Villamarim, com vinte capítulos. No início de maio, ele embarca para Recife junto com a equipe de produção do folhetim para gravar as suas primeiras sequências externas ao lado dos seus colegas de elenco.  

Na história, o personagem do ator, que forma par romântico com Marjorie Estiano, é o assessor e também o braço direito de um político corrupto chamado Antenor Ferraz (Antônio Calloni), que, por sua vez, forma par romântico com Drica Moraes. O político corrupto possui um caso com uma prostituta, vivida por Júlia Dalavia, mas os dois se descuidam e são flagrados juntos. A partir daí, ocorre um assassinato, que é investigado pela justiça. No mesmo núcleo, estão as atrizes Letícia Braga (que vai viver a prostituta na infância, em flashback) e Adriana Esteves (que vai viver a mãe dessa prostituta).

O elenco completo da minissérie “Justiça” é formado pelos atores Adriana Esteves, Ângelo Antônio, Antônio Calloni, Camila Márdila, Cássio Gabus Mendes, Cauã Reymond, Débora Bloch, Drica Moraes, Enrique Diaz, Giovana Echeverría, Igor Angelkorte, Jéssica Ellen, Jesuíta Barbosa, Júlia Dalavia, Leandra Leal, Letícia Braga, Luísa Arraes, Marina Ruy Barbosa, Marjorie Estiano, Priscila Steinman e Vladimir Brichta. Não há um protagonista específico: existem quatro histórias paralelas com duração de uma semana cada. Por causa disso, cada história requer um grupo diferente de personagens principais, além de personagens coadjuvantes. Ao todo, são oito protagonistas envolvidos nesses quatro casos que requerem resolução na justiça.

É proibido copiar, reproduzir e reescrever, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro e na legislação internacional. Os direitos referentes ao conteúdo publicado são integralmente reservados ao site em questão.