Resumo Diário: Novela “Chamas da Vida”: 14/04/2016

Capitulo 118, quinta-feira, 14/04/2016

Carolina fica assustada. Michele diz que o beijo aconteceu por acaso. Michele jura que foi só um beijo. Carolina diz a Arlete que Michele e Pedro a traíram. Walter diz que sabia que Pedro não vale nada. Michele pede desculpas. Miguel manda Vilma embora. Vilma faz pouco de Andressa. Miguel dá uma bofetada na cara de Vilma. Vilma olha para Andressa e diz-lhe que ela vai pagar caro. Pedro diz a Ivonete que não ficou surpreendido com a mentira sobre o filho dela. Ela diz que errou porque queria dar o troco em Carolina e depois que apaixonou-se por Tomás. Pedro diz que foi Vilma que deitou fogo à fábrica. Ivonete pede perdão a Pedro. Pedro aceita. Marreta ficaa saber que Jairo morreu. Telma diz que está a namorar Junior. Guga visita Vivi. Vilma manda Beatriz mudar de clínica. Vilma dentro do carro lembra-se das palavras de Miguel. O sofrimento vai transformando-se em raiva. Marreta conta a Telma que está a fingir que que está com amnésia para ver se Manu ainda ama António Telma diz que Marreta está errado. Leo observa Beatriz a ser retirada da clínica. Carolina diz a Arlete que não aceita a traição de Pedro. Michele chora na rua e Guilherme pergunta o que está a acontecer. Ela diz que está a sentir-se mal e precisa de falar com Pedro. Guilherme chama Michele para ir à casa dele para se acalmar. Walter diz a Arlete que vai a casa de Vilma. Leo liga a António e diz que Beatriz está sendo retirada do hospital. Guga diz a Vivi e a Pedro que se ela quiser levar a gravidez adiante, ele assume a criança. Pedro agradece a Guga e diz que não é fácil. Vivi diz que ainda não decidiu nada e que agradece o carinho de Guga. Guga fica cabisbaixo. Lipe divide o dinheiro com o bandido. Ele diz que vai ser pai e precisa de mais dinheiro. A polícia faz uma busca. 

É proibido copiar, reproduzir e reescrever, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro e na legislação internacional. Os direitos são reservados.