Marina Ruy Barbosa e Lília Cabral são cotadas para a novela “O Sétimo Guardião”

Marina Ruy Barbosa (que atualmente vive Eliza na novela “Totalmente Demais” e vai participar da minissérie “Justiça”) e Lília Cabral (que atualmente vive Virgínia na novela “Liberdade, Liberdade” e vai participar da novela “À Flor da Pele”) são cotadas para o elenco de uma das próximas novelas das 21h da Rede Globo, “O Sétimo Guardião”, escrita por Aguinaldo Silva, que será exibida a partir de julho de 2018, sob a direção de Pedro Vasconcelos e Rogério Gomes, na sequência de “Velho Chico”, “Lobo do Amor” “À Flor da Pele”, além da próxima novela das autoras-roteiristas Thelma Guedes e Duca Rachid.

Com novas regras contra as chamadas reservas informais dentro da emissora carioca, que geram disputas acirradas entre diferentes equipes desde sempre, as atrizes Marina Ruy Barbosa e Lília Cabral ainda não estão efetivamente confirmadas no elenco da produção, daí a cotação, mas o autor-roteirista diz em suas redes sociais que não vai abrir mão do elenco que imaginou para o seu novo projeto. No time pretendido estão ainda atores como, por exemplo, Alexandre Nero, Anitta, Chay Suede, Elizabeth Savala, Ísis Valverde, Maurício Destri e Renata Sorrah. Ele também disse que dará um papel de mocinho clássico para Alexandre Nero e um papel de funkeira para a cantora Anitta.

A novela “O Sétimo Guardião” vai ser exibida no horário nobre da Rede Globo, atualmente ocupado por “Velho Chico” (de Benedito Ruy Barbosa, Edmara Barbosa e Bruno Barbosa Luperi). Antes, virão ainda “Lobo do Amor” (de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari), “À Flor da Pele” (de Glória Perez) e uma produção sem título provisório divulgado (de Thelma Guedes e Duca Rachid). Depois de Aguinaldo Silva, no ano de 2019, será a vez dos autores-roteiristas Walcyr Carrasco e João Emanuel Carneiro. Quem fecha esse rodízio é o profissional que ainda vai ser escolhido para substituir Lauro César Muniz. Entre os candidatos estão duas mulheres: Lícia Manzo e Manuela Dias.

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.