Cauã Reymond integra o elenco da minissérie “Justiça”

Após defender o justiceiro Juliano na novela “A Regra do Jogo” (de João Emanuel Carneiro), o ator Cauã Reymond já possui três novos desafios pela frente. A partir do dia 22 de agosto, ele entra no ar na próxima minissérie da Rede Globo, “Justiça”, escrita por Manuela Dias, que vai substituir a novela “Liberdade Liberdade” (de Márcia Prates), sob a direção geral de Luísa Lima e Walter Carvalho, além da direção artística de José Luiz Villamarim. Entre uma produção e outra vão acontecer as olimpíadas brasileiras, que vão interromper parcialmente a exibição da dramaturgia nacional durante algumas semanas na emissora carioca.

O elenco da minissérie “Justiça”, que possui vinte capítulos, é formado pelos atores Adriana Esteves, Antônio Calloni, Cássio Gabus Mendes, Cauã Reymond, Débora Bloch, Drica Moraes, Jéssica Ellen, Jesuíta Barbosa, Marina Ruy Barbosa e Vladimir Brichta. Depois dela, em 2017, o ator está marcado para outros dois trabalhos. A estreia da minissérie “Dois Irmãos” (de Maria Camargo), que já foi inteiramente gravada em Manaus, está prevista para entrar no ar em janeiro do ano que vem. Na história, ele vive irmãos gêmeos que se odeiam por causa da preferência da mãe por um e ainda por cima disputam a mocinha Lívia (Bárbara Evans).

O terceiro trabalho, que por enquanto é uma reserva, é a novela “À Flor da Pele” (de Glória Perez), que conta ainda com os atores Aimée Madureira, Ana Beatriz Nogueira, Antônio Calloni, Bruna Marquezine, Chay Suede, Débora Falabella, Déborah Secco, Emílio Dantas, Ísis Valverde, José de Abreu, Juliana Paes, Lilia Cabral, Paolla Oliveira, Sérgio Guizé e Stênio Garcia no elenco. O folhetim em questão vai suceder a novela “Lobo do Amor” (de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari), que, por sua vez, vai entrar no lugar da novela “Velho Chico” (de Edmara Barbosa e Bruno Barbosa Luperi a partir do argumento de Benedito Ruy Barbosa).

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.