Marieta Severo e Pablo Sanábio vão participar da peça teatral “Agosto”

Sucesso como a booker-cafetina Fanny na novela “Verdades Secretas” (de Walcyr Carrasco e Maria Elisa Berredo), que aliciava modelos para a prostituição de luxo, a atriz Marieta Severo vai participar da peça teatral “Agosto”, que se trata de uma adaptação brasileira do espetáculo “August: Osage County”, que conta com a autoria de Tracy Letts e também virou um filme de longa-metragem chamado “Álbum de Família”. A direção da obra vai ficar sob a responsabilidade de Aderbal Freire Filho ou Christiane Jatahy: os dois receberam convite para essa missão, mas ainda não deram uma resposta oficial. 

Na história, Marieta Severo vai viver Violet, uma matriarca que fica viciada em diferentes tipos de remédios após descobrir que padece de câncer na boca. O marido dela, Beverly, é um poeta alcoólatra que contrata uma empregada para ajudar nas tarefas domésticas do lar, mas a moça sofre preconceito racial por parte da matriarca, que também aterroriza a vida do poeta. Misteriosamente, Beverly desaparece e as suas três filhas, que reaparecem diante dessa triste situação, acabam encontrando uma carta de despedida que entrega o seu suicídio. As três filhas voltam então a dividir o mesmo teto que a mãe, com o objetivo de cuidarem da saúde dela, ocasionando fortes conflitos.

O ator Pablo Sanábio, que atualmente está no ar como o cômico booker Max na novela “Totalmente Demais” (de Rosane Svartman e Paulo Halm), também já está confirmado no elenco da peça teatral. Outras duas atrizes, Vera Holtz e Camila Morgado, haviam sido convidadas para integrar o time, mas recusaram o convite por causa da próxima novela das 21h da Rede Globo, “Lobo do Amor”, escrita por Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari, sob a direção geral de Fabrício Mamberti e a direção artística de Denise Saraceni, que estreia dia 3 de outubro, na qual vão viver, respectivamente, mãe e filha.

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.