Stênio Garcia é cotado para o elenco da novela “À Flor da Pele”

Após viver Bino em “Totalmente Demais” (de Rosane Svartman e Paulo Halm), o ator Stênio Garcia, que também fez “Meu Pedacinho de Chão” (de Benedito Ruy Barbosa) e “Salve Jorge” (de Glória Perez), está cotado para integrar o elenco de uma das próximas novelas das 21h da Rede Globo, “À Flor da Pele”, que possui previsão de estreia para maio de 2017, na sequência de Velho Chico” (de Edmara Barbosa e Bruno Barbosa Luperi a partir da sinopse de Benedito Ruy Barbosa) e “Lobo do Amor” (de Maria Adelaide Amaral e Vincent Villari).

Sob a direção geral de Pedro Vasconcelos e a direção artística de Rogério Gomes, a novela “À Flor da Pele” é o próximo projeto da autora-roteirista Glória Perez, que será sucedido, por sua vez, por um suspense de Thelma Guedes e Duca Rachid com direção artística de Mauro Mendonça Filho. O elenco provisório do folhetim é formado até o momento pelos atores Aimée Madureira, Ana Beatriz Nogueira, Antônio Calloni, Bruna Marquezine, Cauã Reymond, Chay Suede, Débora Falabella, Déborah Secco, Emílio Dantas, Ísis Valverde, José de Abreu, Juliana Paes, Lilia Cabral, Paolla Oliveira, Sérgio Guizé e Stênio Garcia. Os testes para a composição do elenco coadjuvante começam quando  “Lobo do Amor” dar a largada nas suas gravações, em junho deste ano.

O folhetim vai contar com quatro protagonistas, que serão vividas pelas atrizes Débora Falabella, Ísis Valverde, Juliana Paes e Paolla Oliveira. Já se sabe que a personagem da atriz Paolla Oliveira na história, que é ambientada na cidade de Manaus, situada no estado da Amazônia, é uma policial militar que possui um grande senso de justiça. Ela também lida com a justiça no filme de longa-metragem  Em Nome da Lei”, que já está sendo anunciado nos cinemas nacionais. O filme conta ainda com Chico Diaz, Eduardo Galvão, Emílio Dantas, Juliana Lohmann, Mateus Solano e Rômulo Estrela no elenco.

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.