Marina Ruy Barbosa e Jesuíta Barbosa vão protagonizar a minissérie “Justiça”

No ar na novela Totalmente Demais como Eliza, a atriz Marina Ruy Barbosa, que emendou a novela Império e a série Amorteamo com o folhetim, vai ficar sem férias mais uma vez. Ela vai protagonizar a próxima minissérie da Rede Globo, Justiça, que estreia em agosto no lugar da novela Liberdade, Liberdade. A sucessora da minissérie Ligações Perigosas conta com a autoria de Manuela Dias e a direção artística de José Luiz Villamarim, além da direção geral de Walter Carvalho e Luísa Lima. A preparação começa em maio. 

O ator Jesuíta Barbosa, que foi cotado para a novela Arigatô Amore Mío, também vai protagonizar a minissérie em questão. Ele foi convocado nesta semana para substituir Chay Suede, que está reservado para a novela À Flor da Pele e para a novela Sonha Comigo. O último trabalho dele foi como Felipe na minissérie Ligações Perigosas. Ele, que fez ainda Serra Pelada – A Saga do OuroSete Vidas, O RebuAmores RoubadosMalasartes e o Duelo com a Morte, Praia do Futuro, Tatuagem, Jonas, Trash, O Melhor Amigo, Reza a Lenda, O Grande Circo Místico, também vai entrar em exibição neste ano com a série Nada Será Como Antes, que retrata a história da televisão brasileira.

O elenco da minissérie Justiça é composto pelos atores Adriana Esteves, Antônio Calloni, Cássio Gabus Mendes, Débora Bloch, Drica Moraes, Jesuíta Barbosa, Marina Ruy Barbosa e Vladimir Brichta. A história gira em torno de quatro casais – cujos intérpretes já foram devidamente citados neste parágrafo – que se veem envolvidos em um mesmo crime que precisa de resolução na justiça, embora leve um certo tempo até ser denunciado. A próxima minissérie da emissora carioca conta com exatamente vinte capítulos, que serão exibidos após o término das olimpíadas deste ano, ou seja, essa produção não vai ocupar diretamente a vaga da novela Liberdade, Liberdade.

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.