Exclusivo: José Rubens Chachá é escalado para a novela ”Carinha de Anjo”

O ator José Rubens Chachá, que viveu o comerciante Fradique em I Love Paraisópolis, de Alcides Nogueira e Mário Teixeira, na Rede Globo, está de casa nova. Ele agora é contratado com vínculo por obra pelo SBT até fevereiro de 2017 e está confirmado no elenco do remake da novela infantil mexicana Carinha de Anjo, da Televisa, cuja releitura está sendo realizada pela autora-roteirista Leonor Corrêa e cuja direção está sob a responsabilidade de Reynaldo Boury. As protagonistas femininas serão defendidas pelas atrizes Lorena Queiroz e Priscila Sol, mas o protagonista masculino ainda não foi definido.

O elenco do remake da novela Carinha de Anjo, que vai suceder Cúmplices de um Resgate e anteceder Patinho Feio, já conta com os atores Ângela Dip, Dudu Pelizzari, Jair Oliveira, Jean Paulo Campos, José Rubens Chachá, Kayky Brito, Lorena Queiroz, Maísa Silva, Priscila Sol, Priscilla Marinho e Thiago Mendonça. Os demais atores que haviam sido convidados não se acertaram com o SBT, como é o caso de Joana Fomm, Milena Toscano e Tânia Khalill. A história gira em torno de uma criança de apenas cinco anos de idade, Dulce Maria (Lorena Queiroz), que é entregue por seu próprio pai, Luciano (ator não divulgado), para os cuidados das freiras de um convento. 

Luciano sofre um grave acidente que mata a sua esposa e, traumatizado, faz uma longa viagem ao exterior, retornando algum tempo depois com uma noiva, Nicole, a tiracolo. Como a megera não suporta a filha dele, Dulce Maria, a menina arma um plano para fazer com que o seu pai se apaixone por Cecília (Priscila Sol), uma das freiras que cuida dela no convento. Durante o tempo que Luciano fica afastado de Dulce Maria, apenas uma pessoa visita a menina no convento: Estefânia, a quem ela chama carinhosamente como Tia Peruca, por ela usar perucas coloridas, cujas cores variam diariamente de acordo com o seu visual.

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.