Resumo Diário: Novela “Prova de Amor”: 22/02/2016

Capitulo 147, segunda-feira, 22 de fevereiro

O tiro de Lopo acerta no vidro do carro. Lopo olha Diana, mas acerta na lanterna do carro. Vitor chora ao telefone com Beatriz. Eduarda observa. Raquel e Janice estão na praia e conversam sobre a vontade que Toni tem de fazer justiça com as próprias mãos. Toni conversa com Adelaide. Ela entrega uma carta a Toni informndo que se ela for morta, a culpa é de Felipe. Adelaide liga a Felipe e chama-lhe assassino. Felipe grita ao telefone e diz-lhe que não tem nada a ver com a morte de Marco. Joana ouve a conversa e pede para ele se acalmar. Na clínica psiquiátrica, Baltasar tenta conversar com Elza sobre o seu passado. Elza diz que se esqueceu do nome da própria irmã. Ela desconversa e seduz Baltazar. Ele tenta voltar ao assunto profissional. Valéria está com Zezinho e diz ao menino que o seu pai faleceu. Ele diz-lhe que o seu pai do coração é Alexandre. Alexandre diz a Valéria que realmente queria adoptar Zezinho.Zezinho sugere a Valéria que Alexandre seja o seu pai. Valéria acha que Alexandre quer tirar-lhe Zezinho. Marília está feliz por Zezinho, mas preocupada com o futuro dele. Padilha suspeita que tenham assassinos profissionais atrás de Valéria. Nininha diz a Clarice que teve um pesadelo com Lopo. Diana e Júlio continuam a ser perseguidos por Lopo. Lopo volta a atirar sobre o carro de Júlio. Diana olha para a filha que está no banco de trás. Ela liga a Luísa e pede-lhe reforço policial. Miro diz para a sua quadrilha que um carregamento de drogas está a chegar. Pestana arranja-se para visitar Elza. Murilo tenta convencer Lopo e Barroso a desistir da missão de matar Diana. Lopo diz que precisa cumprir a ordem de Miro. Diana diz que acabou as munições e Júlio completa dizendo que a gasolina está no fim. Chega o reforço policial.O carro de Júlio fica sem gasolina. Lopo vê a polícia, mas não desiste. 

É proibido reproduzir, reescrever ou copiar, integralmente ou parcialmente, o conteúdo do site Notícias de TV, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro. Todos os direitos são reservados.