Licença poética dá o tom da novela “Liberdade, Liberdade”

Apesar de ser baseada no livro Joaquina – Filha do Tiradentes, de Maria José de Queiroz, que documentou a vida de Joaquina da Silva Xavier, a filha de Tiradentes, mesmo com poucos indícios históricos sobre a sua existência, a próxima novela das onze da Rede Globo, Liberdade, Liberdade, que estreia em abril, sofreu uma alteração na sua narrativa com a substituição de Márcia Prates por Mário Teixeira. A nova sinopse do folhetim é completamente diferente do material desenvolvido a partir do livro e também de outras obras, como filmes de longa-metragem, sobre o mesmo assunto. Sendo assim, o folhetim é anunciado como uma trama ficcional, ou seja, usa da licença poética para contar parte da história do Brasil. 

A novela Liberdade, Liberdade é escrita por Mário Teixeira a partir do argumento de Márcia Prates. Sob a direção geral de André Câmara e Pedro Brenelli, o folhetim conta com a direção artística de Vinicius Coimbra. Integram o elenco os atores Andreia Horta, Bruce Gomlevsky, Bruno Ferrari, Bukassa Kabengele, Caio Blat, Chris Couto, Dani Ornellas, David Junior, Gabriel Palhares, Genézio de Barros, Guilherme Piva, Hanna Romanazzi, Heloísa Jorge, Juliana Carneiro da Cunha, Ju Colombo, Laís Pinho, Letícia Isnard, Letícia Sabatella, Lilia Cabral, Maitê Proença, Marco Ricca, Marcos Oliveira, Mariana Nunes, Mateus Solano, Mel Maia, Nathália Dill, Nikolas Antunes, Olívia Araújo, Osmar Prado, Regina Duarte, Ricardo Pereira, Rômulo Estrela, Sheron Menezzes, Thiago Lacerda, Thiago Martins, Vitor Thiré, Yanna Lavigne, Yasmin Gomlevsky e Zezé Polessa. 

O que mudou?

O dentista Joaquim José da Silva Xavier, conhecido pelo apelido de Tiradentes, era mulherengo e se envolveu com uma moça de família, Antônia Maria do Espírito Santo, quando ela era apenas uma adolescente de 17 anos. A gravidez da moça fez a mãe dela obrigar o rapaz a lhe prometer casamento, o que não se consumou porque Tiradentes se irritou com a espionagem de Antônia, que não acreditava que ele iria deixar de frequentar um cabaré repleto de prostitutas. Tiradentes assumiu Joaquina como filha, mas não teve tempo de se reconciliar com Antônia por causa da sua prisão e condenação à morte por enforcamento devido à inconfidência mineira, o que provocou uma profunda amargura na pretendente, a ponto dela começar a padecer de esquizofrenia, acreditando que foi rejeitada e abandonada pelo dentista.

Só que, com a mudança, a próxima novela das 11 da Rede Globo agora começa quando Joaquina (Mel Maia/Andreia Horta) presencia a execução de Tiradentes (Thiago Lacerda) e Antônia (Letícia Sabatella), que são condenados à morte juntos. Joaquina também é capturada por Mão de Luva (Marco Ricca), mas consegue escapar de ser vendida como escrava branca em troca de ouro, sendo levada para Portugal por Raposo (Dalton Vigh). Inicialmente, Antônia seria vivida por Zezé Polessa na fase adulta, quando ela é capturada por Rubião (Mateus Solano) e transformada em escrava branca, ao passo que outra atriz iria interpretá-la aos 17 anos, quando enlouquecida, abandona Joaquina em um convento.

O personagem Mão de Luva, por sua vez, ficou conhecido na história brasileira como um português que fugiu da Europa para se livrar da condenação à morte por ser traficante, deixando para trás a sua amante, Dona Maria I, até então princesa, que posteriormente se tornou rainha com a mudança da família real para o Brasil. Ele usava uma luva preta na mão para provar o seu amor por Maria e pediu que o objeto fosse devolvido para ela ao ser capturado e morto por Tiradentes. Essa execução foi o verdadeiro motivo de Maria decretar a condenação do dentista: pura vingança. Na nova versão da novela, Mão de Luva não morre mais pelas mãos de Tiradentes. 

Já o personagem Raposo não existia antes da intervenção na história: Joaquina foi criada pela Irmã Lúcia em um convento, onde aprendeu a produzir vinho e de onde fugiu junto com um grupo de artistas itinerantes para honrar a memória do pai. Quando finalmente encontrou Antônia, Joaquina foi obrigada a fugir para a Bahia, levando a mãe consigo, onde se escondeu por dez anos na casa de um poderoso fazendeiro, que seria correspondente a Raposo. Durante a viagem, Joaquina se tornou amiga de Elisa, uma moça do bem, e se apaixonou pelo médico Luís Afonso. Na nova versão da novela, Luís Afonso (Bruno Ferrari) é mantido como é descrito no livro, com a diferença que Elisa foi transformada em Branca (Nathália Dill), a sua noiva possessiva.

É proibida a reprodução e a modificação, integral ou parcial, do conteúdo deste site, sob pena de ação judicial pelo crime de violação de direito autoral, previsto no código penal brasileiro.