Resumo Semanal: Novela “Carrossel” – 30/03/2015 a 03/04/2015

Capítulo 011, 30 de março (segunda-feira) – Helena pede para ver o caderno dos alunos antes de começar a aula. Paulo coloca um rato na mochila de Cirilo. Ao ver o caderno de Valéria, professora Helena trata a aluna com indiferença, a menina fica sentida. Ao final da aula, Valéria tenta puxar assunto com Helena, mas a professora continua indiferente. Daniel, Cirilo e Davi pedem para Helena fazer as pazes com Valéria. Cirilo conta a Valéria que a professora Helena disse que ela precisa reconquistar sua confiança. Maria Joaquina vê um rato sair da mochila de Cirilo. Valéria chega em sua casa arrasada, ela desmaia e seus pais entram em pânico. Maria Joaquina briga com Cirilo e afirma que foi ele quem soltou o rato em sua festa. Cirilo tenta se defender. Miguel, pai de Maria Joaquina, examina Valéria, que revela ao médico que está triste porque Helena não quer mais ser sua amiga. Maria Joaquina comenta com Bibi que Carmen leva lanches fedidos para a escola e tem vergonha de comê-los na frente de todos. Maria Joaquina vai até Carmen e diz para a menina comer seu lanche de ovo podre bem longe dela. Miguel vai à escola conversar com Helena e conta que Valéria está deprimida, pois a garota acha que a professora não gosta mais dela. Cirilo pergunta a Maria Joaquina se ela já passou fome. Arrogante, ela diz que é óbvio que não. No recreio, Cirilo divide seu lanche com Carmen. Helena se sente culpada por ter sido tão dura com Valéria. Valéria comenta com Rosa, sua mãe, que está se sentindo péssima. Rosa tenta fazer Valéria se alimentar, mas ela está irredutível. Helena vai à casa de Valéria e pede desculpas a Rosa e Ricardo, pais de Valéria, por ter deixado a garota triste. Rosa leva Helena ao quarto da filha. Valéria está deitada na cama e Helena pede para a menina prometer que retornará às aulas, pois todos estão morrendo de saudade. Valéria se reanima. No dia seguinte, Valéria chega atrasada à aula, mas ela é recebida de forma calorosa por todos. Olívia comenta com Matilde que os alunos vão começar a se revoltar contra Helena. No pátio da escola, as meninas conversam sobre casamento. Firmino lembra de sua mulher.

Capítulo 012, 31 de março (terça-feira) – Laura percebe que Firmino está um pouco confuso e pergunta o que aconteceu. Carmen conta a Helena que Firmino disse que sua mulher, Pilar, está em Portugal. Carmen comenta que Valéria disse que Firmino e a mulher têm um casamento moderno. Helena pergunta a Valéria se ela caçoou de Firmino, e explica que a mulher de Firmino morreu. Valéria confessa que está sentindo vergonha, pois não sabia do acontecido. Helena pede para Valéria ter mais cuidado ao fazer brincadeiras. Ela acaba os exercícios na sala e pede para a professora deixá-la ir ao banheiro, mas vai ao quarto de Firmino entregar flores. Ela diz que são para a mulher dele. Valéria pede desculpas a Firmino pela brincadeira que fez. Helena vai até o quarto e observa Firmino e Valéria conversando sobre Pilar. A professora se emociona. Maria Joaquina comenta com Daniel que os colegas ficaram deslumbrados com sua festa, pois são um bando de pobres. Não bastasse, Maria Joaquina diz para Bibi que Valéria é a protegida da professora. Cirilo conta aos pais que sua amiga Carmen nunca leva lanche para a escola. Inês, mãe de Carmen, lamenta não ter dinheiro para pagar as contas. Ela diz a Carmen que não pode dar dinheiro à filha comprar lanche pelos próximos dias. Para agradar a mãe, Carmen diz que o importante é que ela tem uma bolsa de estudos e não precisa pagar a mensalidade da Escola Mundial. Maria Joaquina está prestes a dormir e pensa em Daniel. Ela imagina que é uma princesa na torre, e Daniel, o príncipe que a salva. Clara, mãe de Maria Joaquina, conta a Miguel que a menina está muito triste. Miguel promete observar o comportamento da filha.

Capítulo 013, 01 de abril (quarta-feira) – No café da manhã, Miguel pergunta a Joana se Maria Joaquina já se levantou. Maria Joaquina chega à mesa espevitada e diz que precisa ir para a escola logo. Ela conta aos pais que teve um sonho de princesa. Na Escola Mundial, Maria Joaquina conta às amigas que sonhou com um príncipe. Cirilo acha que foi com ele. Olívia aconselha Matilde a fazer Helena acreditar que estão reclamando do terceiro ano. Matilde fala a Helena que Olívia a está esperando para um conversa na diretoria. Inquisitiva, Olívia pergunta a Helena se ela está satisfeita com a educação que está proporcionando aos alunos. Olívia aconselha Helena a rever seus métodos de ensino, pois alguns professores estão reclamando do terceiro ano. Helena sai da sala, Olívia e Matilde vibram. Helena desabafa com Firmino e fala que Olívia e Matilde estão reclamando que os alunos do terceiro ano estão muito enérgicos. Helena chega à sala e recebe uma chuva de elogios das crianças. Entojada, Maria Joaquina comenta com Alícia que não aguenta mais Cirilo olhando para ela. Perverso, Paulo fala a Cirilo que ele tem que ser o Daniel para a Maria Joaquina começar a gostar dele. Paulo solta novamente o rato perto das meninas, que estão conversando no pátio. Laura vai chamar a professora. Jaime pega o rato e o coloca na caixa. Cirilo enfrenta Paulo ao dizer que não gostou do que ele fez a Maria Joaquina. Cirilo conta a Maria Joaquina que bateu em Paulo, pois foi ele quem soltou o rato perto dela. Maria Joaquina o despreza ao falar que não precisa da ajuda dele. Ao entrar na sala e sentar nas carteiras, os alunos são espetados por tachinhas – foi Paulo quem as colocou. Maria Joaquina conta a Helena que viu Paulo entrar na sala de aula na hora do recreio. Helena pergunta quem colocou as tachinhas nas cadeiras, mas Paulo não assume a culpa. Helena ameaça tirar pontos das provas se o culpado não aparecer. Paulo revela a Kokimoto que escreveu uma carta de amor a Cirilo com a assinatura de Maria Joaquina. Na carta, supostamente escrita por Maria Joaquina, ela marca um encontro tarde da noite com Cirilo.

Capítulo 014, 02 de abril (quinta-feira) – José, pai de Cirilo, vai à Escola Mundial. Firmino elogia Cirilo a José. Cirilo comenta com Maria Joaquina que sonha em se casar com uma menina de olhos verdes. Ela diz para Cirilo se tocar, pois ele jamais casará com uma mulher bonita. Kokimoto diz a Cirilo que Maria Joaquina lhe pediu que entregasse uma carta de amor. Koki aconselha Cirilo a ler às escondidas, é segredo. José conversa com Helena sobre Carmen, pois as coisas não vão nada bem na casa da menina. José se propõe a construir uma lanchonete na escola, desde que a instituição dê alimentação de graça aos alunos. Helena promete conversar a respeito com a diretora Olívia. No pátio, Maria Joaquina deixa seu lanche de lado, pois não gosta do sabor. As meninas saem e Carmen aproveita para comer o lanche. Professora Helena a observa e se comove. Cirilo pergunta a Daniel quanto dinheiro precisa para comprar um lindo arranjo de flores. Helena vai à sala de Olívia e fala sobre a situação de Carmen. Olívia afirma que a escola não possui recursos para bancar um refeitório. Helena propõe à diretora convocar uma reunião de pais e mestres para discutir o assunto. As meninas perguntam a Maria Joaquina se ela está namorando Cirilo. Ela fica indignada. Cirilo conta à mãe que está feliz, pois descobriu que Maria Joaquina gosta dele. Cirilo quebra seu cofre para comprar um arranjo de flores com suas economias. Ele vai ao encontro de Maria Joaquina tarde da noite. Começa a cair um temporal, mas o garoto, decidido, fica aguardando a amada na frente da casa dela. Cirilo fica ensopado esperando por Maria Joaquina. Miguel chega em casa e vê Cirilo debaixo da chuva. O médico leva o garoto para dentro de sua casa e o seca. Cirilo mostra a suposta carta que recebeu de Maria Joaquina. José e Paula estão preocupados com o sumiço do filho. Miguel fala a Cirilo que a letra da carta não é de Maria Joaquina. Cirilo afirma a Miguel que Kokimoto e Paulo o fizeram de bobo. Miguel pede a seu motorista que leve Cirilo para casa. Ao chegar em casa, o garoto conta aos pais que se perdeu. José passa um sermão em Cirilo. O garoto vai para seu quarto e diz a si mesmo que um dia Maria Joaquina lhe mandará uma carta.

Capítulo 015, 03 de abril (sexta-feira) – No dia seguinte, Maria Joaquina entrega um pacote a Cirilo a mando de seu pai. É uma bola de futebol. Valéria e Maria Joaquina brigam na sala de aula. Helena as coloca para fora. Valéria xinga Maria Joaquina de cobra da língua venenosa. As duas estão no pátio e percebem que Firmino não se sente bem. As garotas chamam a professora Helena, que pergunta o que Firmino está sentindo. Olívia fica incomodada com a palidez de Firmino – ela quer saber se ele está se tratando. Helena tem uma conversa delicada com Carmen e pergunta se a menina está precisando de alguma coisa. Compreensível, Carmen explica a Helena que sua família está passando por uma crise financeira. Helena pede o endereço de Carmen. Maria Joaquina conta aos pais que brigou com Valéria na sala e foi colocada para fora. Carmen ajuda a mãe, Inês, arrumar a casa. Helena chega à casa de Carmen e pede para a aluna ir brincar, pois precisa conversar com Inês. Helena afirma a Inês que se prontifica a levar o lanche de Carmen todos os dias. Inês fica sem graça. Carmen ouve as duas conversando. Marcelina sai da sala de aula para beber água e encontra Firmino caído no pátio. Helena e os alunos tentam ajudar Firmino. Maria Joaquina telefona a seu pai de fala que Firmino está passando mal. Miguel chega à escola, examina Firmino e afirma que a pressão dele está alta. O médico diz que Firmino apresenta um quadro de insuficiência cardíaca. Miguel vai conversar com a professora Helena e aconselha a não deixar Firmino só. O médico fala à diretora que Firmino precisa repousar. Fria, a diretora Olívia afirma que não devia ter contratado um funcionário tão velho. Miguel aproveita para comentar com Olívia sobre a situação da família de Carmen, pois ele tem interesse em ajudar. O médico aconselha a diretora a marcar uma reunião com pais e mestres para tentar solucionar o problema da família.