Entrevista: Valéria Alencar fala sobre papel de parteira na novela “Os Dez Mandamentos”

Esposa de João Vitti e mãe de Rafael Vitti, também atores, a atriz Valéria Alencar fará uma participação especial na primeira fase da novela bíblica Os Dez Mandamentos, escrita por Vívian de Oliveira, que estreia dia 23 de março, às 20h30, na Rede Record, sob a direção de Alexandre Avancini.

Ela será responsável pelo nascimento do protagonista da trama, Moisés, que posteriormente será interpretado por Guilherme Winter, impedindo a sua execução, já que, na história, os filhos dos escravos eram indesejados pelos nobres. Posteriormente, o rapaz será criado pelo mandante da sua execução, que desconhece a sua origem.

Em entrevista exclusiva ao site Notícias de TV, ela conta detalhes sobre a sua personagem:

“Minha participação é na primeira fase, ou seja, nos cinco primeiros capítulos. Trata-se de uma parteira hebreia, Poá, que servia ao Faraó Seti (Zé Carlos Machado) e tinha como missão comunicar ao mesmo o nascimento de meninos para que fossem exterminados. Diante do dilema, decide guardar segredo depois do parto de Joquebede (Samara Felippo), onde se constata o nascimento de um menino. Poá, assim como Sifrá (outra parteira, interpretada por Stella Freitas), são citadas na Bíblia.”

Empolgada com o trabalho, Valéria Alencar contou ainda um pouco da sua experiência durante as gravações, o clima de entrosamento entre toda a equipe e o fim da sua participação na trama:

“Basicamente, a participação se deu na sequência do parto, gravada em estúdio e no Atacama. Viajar com a equipe, sentir o empenho e a paixão de todos foi uma das experiências mais emocionantes que vivi nesses anos de Record. Um presente poder participar desse grandioso e ousado projeto. Claro, não vou mentir, a vontade era de continuar contando essa história até o fim. Agradeço ao Avec, que com sua seriedade, abraçou a todos com um senso de liderança sem perder a gentileza e a calma diante de tantos obstáculos e adversidade, afinal, gravar naquele deserto não é só para quem quer, tem que ter muita competência. Fiquei honrada e admirada por tudo. Minha participação foi pequena, mas, feliz”.

Com o seu contrato se encerrando com a emissora em março, daqui a um mês, a atriz ainda não sabe qual será o seu rumo profissional, mas não descarta a possibilidade de emendar o folhetim com Escrava Mãe, novela de época que estreia em novembro:

“Existe um desejo enorme, pois além de produção de época, que amo fazer, tem “o fechar com chave de ouro”, oito anos de contrato com a Record, que se encerra no final de março. Com Gustavo Reiz fiz Sansão e Dalila, uma personagem vilã, Hannah, que deixou sabor de quero mais. Vamos aguardar”.